blog de variedades ,sugestões, dicas de beleza , moda e lazer.Destinado à todos os tipos de mulheres

.posts recentes

. Pilates sem erro

. Cadê o sutiã?

. Azeite, um aliado do cora...

. Sensibilidade nos seios n...

. Alimentos anti idade

. Uma unha de cada cor e 'f...

. MODA SUSTENTÁVEL

. Olho preto esfumado

. Como lavar corretamente p...

. Drenagem Linfática

.arquivos

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

Quarta-feira, 29 de Dezembro de 2010

Cuidado com as liquidações

 

 

Quer aproveitar a temporada de liquidações?

 

Veja as dicas para proteger seu bolso SÃO PAULO -

 

Passada a euforia das compras de Natal, que neste ano bateram recorde, os lojistas lançam mão das liquidações, seja para manter as vendas aquecidas, seja para renovar os estoques. Essa temporada de preços mais baixos já teve início nas grandes redes varejistas. Entre elas, por exemplo, estão a Casas Bahias e o Ponto Frio, que oferecem até 70% de desconto em todas as linhas de produtos, até quando durarem os estoques. Já o Extra promove até a próxima sexta-feira (31) um saldão de eletroeletrônicos, eletrodomésticos, equipamentos de informática, CDs, DVDs e brinquedos, que ficarão com o preço 50% mais barato.

 

 No entanto, mesmo quem está com dinheiro sobrando na conta bancária precisa conter a empolgação diante das ofertas tentadoras, para não se arrepender depois.

 

Planejamento

 

Antes de tudo, é fundamental rever o orçamento - quem não costuma fazer, deve colocá-lo em sua lista de prioridades do ano -, para saber previamente a quantia que poderá dispor para as liquidações.

 

Vale lembrar ainda que o início de ano é marcado por gastos extras com IPVA, IPTU, rematrícula e material escolar, entre outros. Feitos os cálculos, o consumidor deve tomar alguns cuidados para poder aproveitar melhor as ofertas das lojas. Para ajudar nesta tarefa, as entidades de defesa do consumidor Pro Teste e Idec dão algumas recomendações que, se seguidas, podem proteger o seu bolso.

 

Bater perna vale a pena

 

 Entre as orientações, está a velha pesquisa de preços. Nesta hora, o que vale é a paciência para sondar vários estabelecimentos e comparar os valores cobrados em cada um deles. Dessa forma, é possível até definir os produtos que serão comprados antes de sair de casa.

 

Um bom aliado neste momento, segundo a Pro Teste, são os anúncios publicados em jornais, revistas e panfletos, que devem ser guardados para exigir o cumprimento da oferta. O Idec, por sua vez, alerta o consumidor a ficar atento para não cair no conto da “falsa liquidação”, em que as lojas aumentam os preços antes de aplicar o desconto, dando a impressão de que o produto ficou mais barato.

 

Evite compras por impulso

 

De nada vai adiantar fazer a pesquisa de preços, se o consumidor não cumprir aquilo que planejou quando estiver na loja. Nesta hora, diz a Pro Teste, deve-se evitar a compra por impulso, só porque é mais barato. É necessário verificar primeiro a real necessidade da compra, para que aquela "blusinha" que parecia linda no provador não fique depois encostada no canto do armário.

 

Outra dica para não gastar acima do previsto é não se deixar levar por ofertas do tipo "pegue dois, leve três" ou muito menos das que dão brindes ou direito a sorteios, pois, para participar destas últimas, é preciso atingir um limite de compras. Produtos de mostruário O consumidor deve ter em mente, também, que as lojas costumam fazer liquidações com produtos de mostruário ou que apresentam pequenos defeitos, entre eles, roupas com manchas ou descosturadas ou eletrodomésticos com partes amassadas.

 

 De acordo com a Pro Teste, não há legislação que proíba tal prática, desde que essas características constem em nota fiscal. Além disso, diz o Idec, a falha não pode comprometer o funcionamento, a utilização ou a finalidade do produto. Para evitar problemas, o instituto recomenda que o consumidor teste o produto antes de levar para casa.

 

A Pro Teste explica ainda que há mercadorias em exposição nos saldões que não podem ser trocadas. Caso a troca seja possível, a lei determina um prazo de 30 dias, para reclamar defeitos em produtos não-duráveis, e de 90 dias, para os duráveis. Liquidação x promoção Por fim, vale mencionar um detalhe que passa despercebido para a maioria dos consumidores: enquanto na liquidação o cliente encontra facilidade somente nos preços, na promoção, ele pode encontrar prazos mais longos de pagamento.

 

 Na teoria, a liquidação e a promoção são diferentes, mas, como o primeiro nome causa mais impacto, os lojistas costumam usá-lo mais. Independentemente do tipo de facilidade que terá, é recomendável que o consumidor compare bastante antes de aderir à promoção ou à liquidação.

 

http://dinheiro.br.msn.com/comportamento/artigo.aspx?page=0&cp-documentid=26933102


publicado por Eu opino mulher às 02:19

link do post | comentar | favorito
|

1 comentário:
De Principe Encantado a 29 de Dezembro de 2010 às 14:57
Muito bom, essa é uma época muito séria em que os compradores compulsivos se enrolam muito kakaka
Um Feliz 2011 para você e todos os seus, com paz e realizações, que os projetos saiam da gaveta e se torne realidade. Sucesso.
Abraços forte


Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Outubro 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


.tags

. todas as tags

.favorito

. O lingerie nosso de cada ...

.links

.Fazer olhinhos

blogs SAPO

.subscrever feeds